Spiga

O GÊNIO NÃO ACREDITAVA EM DEUS

Descobriu-se uma carta atualíssima assinada por Albert Einstein. Enviado a um amigo filósofo, o texto foi escrito em 1954, um ano antes da morte de Einsten.

Considerando um dos gênios da história da humanidade, Albert Einstein sempre foi lembrado em função de uma de suas frases mais conhecidas, “a ciência sem religião é manca, a religião sem ciência é cega”.

O próprio Einstein cuidou de esclarecer diversas vezes que não acreditava num Deus “pessoal” e que não entendia religião como a maioria das pessoas entende. Não adiantou. Essa frase sempre foi usada por quem pretendia subordinar a pesquisa científica a valores religiosos, como acontece agora, quando a Igreja se mobiliza de todas as formas para tentar proibir pesquisas sobre células tronco.
Em 1954, numa carta de próprio punho, Einstein decide passar suas idéias a limpo. Judeu, ele fala da idéia de Deus, em geral e também trata de sua religião de forma específica. Também discute aquela noção, inspirada na Bíblia, segundo a qual os judeus seriam um povo ‘eleito’ por Deus. Ele afirma:

a) “A palavra Deus é para mim nada mais do que expressão e produto de fraqueza humana...

b) “Para mim, a religião judaica, como todas as outras religiões, é uma encarnação das superstições mais infantis”

c) “O povo judeu, ao qual pertenço com gratidão e com cuja mentalidade tenho profunda afinidade, para mim não difere em qualidade de outros povos. Pela minha experiência, eles não são melhores do que outros grupos humanos, apesar de serem protegidos dos piores cânceres por lhes faltar poder. Tirando isso, não consigo ver nada de ‘escolhido’ sobre eles.”

São palavras de quem é capaz de exibir uma inteligência superior mesmo fora da física. Sem rejeitar as origens, Einstein coloca-se como humano.
Escrita numa década em que se debatiam os horrores do holocausto da Segunda Guerra Mundial, a frase em que ele diz que os judeus foram “protegidos dos piores cânceres por lhes faltar poder” pode ser considerada profética diante da opressão a que o Estado de Israel mantém o povo palestino.
Mas o assunto da carta é Deus.
E só cobre com um pouco mais de vergonha quem se recorda das manobras do ministro Carlos Alberto Direito para bloquear a votação no Supremo Tribunal Federal sobre células-tronco. Concorda?

Enviada por Paulo Moreira Leite

1 comentários:

  Danzinhu;

8 de junho de 2008 11:14

Nunca tinha visto isto em lugar algum.
Achei muito interessante cara!

Parabéns pelo blog e sucesso professor!