Spiga

ORIGEM DO DIA DO PROFESSOR

No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila), D. Pedro I decretou que toda vila, lugarejo ou cidade do Brasil, criasse as primeiras escolas primárias do país, que foram chamadas de “Escolas de Primeiras Letras”, através de um decreto federal.

Os conceitos trabalhados eram diferenciados de acordo com o sexo, os meninos aprendiam a ler e escrever, as quatro operações matemáticas e noções de geometria. Para as meninas, as disciplinas eram as mesmas, porém no lugar de geometria, entravam as prendas domésticas, como cozinhar, bordar e costurar.

Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia dedicado ao Professor.

Começou em São Paulo, pelo Profº. Salomão Becker em uma pequena escola da Rua Augusta, o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”, onde trabalhava. O período letivo do 2º semestre da época era de 01 de junho a 15 de dezembro com apenas 10 dias descanso em todo esse período.

O Profº. Salomão propôs uma reunião de descanso para o dia 15 de outubro com toda a equipe da escola para que fossem discutidos os problemas da profissão, planejamento de aula e também de congraçamento entre os profissionais.

A reunião, que se tornou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963.

O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do (a) Professor (a), os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os estudantes e as famílias".

Fontes:



1 comentários:

  Anônimo

24 de novembro de 2010 16:33

Como quase sempre acontece neste país, tal decreto não é cumprido plenamente.